28 de set de 2013

Resenha: Inferno - Dan Brown


  • Atualização: mudei o nome do blog e por isso estou remanejando uns posts. Este fora publicado originalmente em 2012.

Olá meus amigos imaginários! Tudo bem? :D

Hoje eu vim falar sobre o best-seller Inferno, do Dan Brown. Mas antes, uma observação: isso é uma resenha, mas eu não gosto dessa palavra. É, me lembra vocabulário de bolero sabe... Porque eu sei que resenha é conversa na boleragem, e eu aprendi esse significado antes do real significado de resenha. Então eu chamo de "falar um pouco sobre..." ao invés de resenha. Só isso :B

Caramba, por onde eu começo... Hm...
Quando eu vi que lançou esse livro, fiquei suuuper animada, porque eu já li O Símbolo Perdido e achei muito bom! Eu tenho Ponto de Impacto e O Código Da Vinci também, mas ainda não li.
Aí comprei no submarino, esperei animadérrima para poder ler e quando chegou o livro: Iha! Comecei a ler.



Me decepcionei muito :( Pô Dan, por quê?
Ele é tão igual quanto os outros livros (sei por causa dos filmes), novamente Robert Langdon se encontra em uma aventura contra o tempo para descobrir algum segredo, sempre relacionado a algo histórico, e nesse caso é o livro Comédia, de Dante Aliguieri. Uma nota: Sim, o real nome da obra é A Comédia, contudo, 300 anos (e alguma coisa) da morte de Dante, um cara leu a obra e ficou encantado, mas tão encantado que chamou a obra de divina, e resolveu publicá-la! E daí que essa obra passou a ser conhecida como A Divina Comédia, mas o nome que o próprio Dante deu à obra foi A Comédia.

Bem, então o livro já estava super clichê, aí aparece a garota da vez - porque em todos os livros tem uma gata que faz dupla com o Robert - e essa mulher é a Sienna, uma médica com Q.I  de 207, ou 208 - super Q.I.

Mas tudo bem sabe? Porque no Símbolo Perdido também era esse clichê, e eu adorei a trama! Entretanto... dessa vez Dan Brown não conseguiu me comover. O livro é simplesmente muito pacato. Apesar da correria, os momentos de tensão não dão aquele frio na barriga e vontade de continuar a leitura. O livro segue, e segue e você só pensa: af, quando é que essa coisa vai acabar? Para mim, ficou muito claro nessa obra que Dan Brown faz mesmo livros para vender. Ele não me passou a sensação de que se esforçou realmente para escrever a obra - eu sei que ele se esforçou, foram 5 anos de pesquisa e tudo, conheço o trabalho que ele teve, mas na obra isso não transparece. Pareceu-me mais um livro escrito de qualquer maneira para para vender, sem preocupação em se superar, sabe? Dar o melhor de si... E isso é triste...

Mas tem pontos positivos. O que eu gosto na obra é a descrição dos locais por onde a dupla passa. Se algum dia eu for pra Florença, Veneza ou Istambul vou querer conhecer os locais que ele cita na obra, pois o livro passa a sensação de que são locais que valem a pena - acho que ele foi pago para fazer propaganda desses locais hehe.

Eu não vou contar a história mais do que eu já contei, pois pra quem ainda não leu, perde a graça né... Mas é essa opinião - ele não se superou, só fez mais um livro para ganhar dinheiro, e um livro bem sem graça ainda por cima :/ Talvez o filme fique melhor... ou não.

Se você tem outra opinião, por favor, comente abaixo :D Eu adoraria ver outros pontos de vista!

É isso pessoal, fiquem bem e um forte abraço!

22 de set de 2013

Aquisições Literárias do Dia #2

Schopenhauer é um cara super crítico,sagaz e sarcástico, e esse é mais um livro que me orgulho de ter. Só não gostei do preço: R$ 37,00.
Acreditam que eu já terminei esse livro? Li em três horas, porque o livro passa voando! Na minha opinião, deveria ser um conto, e não um livro inteiro. A história não é grande coisa: um rapaz que quer entrar na faculdade e para isso decide criar uma revista literária, mas ninguém quer participar então ele descobre os podres de uns colegas e os chantageia para que mandem textos que formarão a revista. Isso se passa em um mês. Nada é aprofundado, mas o final é até que legal. Tem uma liçãozinha de moral básica, e então puf. Acabou, só. Não achei grande coisa. Tem algumas críticas, mas nada de mais também... Ah gente, sei lá. Na boa, eu gostei que ele não segue a mesma linha de TODOS os livros YA, porque vocês sabem que é tudo a mesma coisa; não há romance, é só o protagonista com os colegas retardados, sendo ele o esperto. Se eu fosse dar uma nota de 0 a 5, daria 2. 

Comprei esse box da Virginia Woolf porque estava barato: 60,00 reais. Gostei do box, que é meio durinho, tipo capa dura, e vêm seis livros dela. Como se cada um custasse 10,00 reais, então valeu a pena, mas ainda não li nenhum dos livros. Comecei Noite e Dia, mas achei meio sem graça e abandonei na página 10, porém vou retomar a leitura quando tiver mais tempo.
 Comprei esses dois livros por curiosidade, e acontece que eles são livros de curiosidades. É basicamente um conjunto de respostas dadas por autores famosos, que respondem à pergunta: Por que escrevo? ou Como escrevo?. Você pode abrir qualquer página desses livros, e vai encontrar o nome do autor, a resposta que ele deu à pergunta e uma breve biografia. É para quem se interessa por literatura e seus grandes nomes, para matar alguma curiosidade, mas não tem nada de mais. A minha opinião é: não gaste seu dinheiro com esses livros, você pode encontrar essas respostas na internet. Comprei porque não sabia do quê se tratava, mas me arrependi. Agora que tenho, vou dar uma lida né, mas se soubesse antes, não comprava.

21 de set de 2013

Aquisições Literárias do Dia

Então eu comprei Divergente depois de toda a animação que vi no pessoal pelo lançamento do filme, e fiquei curiosa "Poxa, se tá todo mundo tão animado, quer dizer que deve ter algo interessante nesse livro..." foi o que pensei, e aqui está. Preciso dizer que estou na página 68 e até agora o livro não me conquistou. (Atualização 24/09: terminei Divergente e acabou que o livro não me conquistou mesmo Preferiria ter investido meu tempo em um livro melhor...)
Já li metade desse livro no computador achei muito interessante, e agora finalmente comprei!
Estou híper ansiosa para ler esse livro depois de tanta coisa positiva que ouvi falar, principalmente coisas do tipo: "... considerada a maior e mais elaborada obra de literatura fantástica desde os livros de J. R. R. Tolkien." Mas para ler esse livro preciso dedicar uma atenção especial e não vou conciliar essa leitura com qualquer outra. Esse volume tem 800 páginas e é o primeiro de 14 VOLUMES! WTF! Pelo que vi, a Intrínseca vai lançar um a cada seis meses, e vai demorar sete anos até que a série toda esteja lançada. Ah, gostaria de ter conhecido antes essa série, já que esse livro foi lançado primeiramente em 1990...

18 de set de 2013

As Melhores das Trilhas Sonoras Inesquecíveis - Quinta para ouvir #1

Sabemos que a trilha sonora é marcante quando precisamos apenas ouvir a música para que as cenas do filme surjam em nossa cabeça  e emoções venham à tona, não é mesmo?
Dessas trilhas, fiz uma seleção das mais marcantes, veja só:

O Senhor dos Anéis

Rei Leão

Titanic

Harry Potter
Tubarão Star Wars Rocky Balboa Missão Impossível Psicose Uma Linda Mulher
Jurassic Park Caso lembrem de mais alguma, comentem abaixo :D

13 de set de 2013

Resenha (sqn): Clube da Luta - Chuck Palahniuk

Então eu estava toda animada na livraria segurando O Iluminado, O Cemitério e Ensaio Sobre a Cegueira, já a caminho do caixa quando passei pela maquininha de checar o preço e pensei que seria bom só saber o preço dos livros antes de pagar, mesmo que eu já tivesse uma ideia de trinta reais cada um - beleza, e depois de conferir o preço saí andando pela livraria como antes, a diferença de antes é que eu não carregava mais nenhum livro na mão.

Aí encontrei uma pilha de livros e vi que eram do famoso livro "Clube da Luta", peguei um ocasionalmente e me dirigi direto ao leitor de preço, porque né...

Ainda bem porque não era barato. Tá, isso é um probleminha com a Livrarias Curitiba, sempre mais caro do que precisa, mas OK porque eu não preciso esperar uma semana para chegar do Submarino; é como se eu pagasse o frete para ter o livro na hora. Comprei e comprei também um que eu havia abandonado antes, porque ele gritava por socorro lá perto da maquininha de preços e como eu tenho um bom coração, salvei a obra de José Saramago. Cheguei animada para ler. Eram 21:00.
A história começou, e logo saquei que tinha alguma coisa estranha no "sei disso porque Tyler sabe", e devo dizer que suspeitava desde o princípio... Chamo o cara do livro de John, porque parece que esse é o nome dele. Pelo menos para mim, já que no livro o nome do personagem principal não é citado, e isso não muda nada, acredite...

Aí a narrativa segue, e eu não acreditava que a coisa toda do Clube da Luta tomaria as proporções que tomou. Sério. Ah, antes que eu esqueça: só a ideia do clube da luta já me cativou, que tesão! Eu tive sorte de não ter assistido ao filme antes de ler o livro. Mas acabei com minha própria sorte.

Na página 130 - quando o download do filme terminou, assisti ao filme. Não faça isso. Mas quer saber? O filme é ótimo e não posso deixar de falar, como uma típica mulher, que o Tyler é um gostoso. Voltei ao livro já sabendo o que aconteceria, mas continuei fissurada na história. O texto anda e que isso fique bem em itálico porque realmente anda.

Já não fosse bastante bom, a história é genial. Não só a história - não dizer que o próprio Palahniuk é genial não seria justo. No fim é que entendemos grande parte das coisas, e como já falei do filme, vou falar novamente - se você já viu o filme, não vai encontrar muito mais no livro, porque o filme é quase idêntico, aleluia (leia mesmo assim). Sim, isso é bom. Só o final é diferente. Não sei qual prefiro, talvez o do livro... Hm... Eram 3:00 da manhã.

Por fim, vou esclarecer: o livro é um tapa na cara pra muita gente por aí. Na boa, acho que todo mundo deveria ler esse livro. Cansado da sociedade de hoje? Da burocracia, politicamente correto e toda essa merda? Leia Clube da Luta. E não fale dele, não quebre as regras como acabei de fazer.