13 de jan de 2014

Resenha: O Diário de Helga - Helga Weiss

  • Livro: O Diário de Helga
  • Autora: Helga Weiss
  • Editora: Intrínseca
  • Páginas: 238
  • Ano: 2013

Terminei hoje a leitura de mais um livro fantástico: O Diário de Helga, que relata a vida da garota durante os anos da segunda guerra e como conseguiu sobreviver aos campos de concentração.  Helga começou a escrever seu diário com oito anos, quando a Tchecoslováquia, seu país, havia acabado de ser ocupada pelas tropas da Alemanha nazista - logo após começaria a perseguição aos judeus. Ela continuou a escrevê-lo quando foi levada com sua família ao campo de concentração de Téresin, em 1941, e seus relatos e desenhos, escritos nas folhas de um caderno, só sobreviveram porque seu tio os escondeu dentro das paredes dos prédios do campo. 


No começo do livro, o relato de Helga é simples, infantil, descrevendo todos os acontecimentos sob a visão de uma criança. Helga conta como foi quando sua cidade, Praga, fora tomada pelas tropas - quando ela não pôde mais frequentar a escola, quando seus pais perderam o emprego, quando não podiam mais fazer compras em lojas arianas, quando foram obrigados a usar sempre a estrela amarela de David, para mostrar a todos que eram judeus, e quando começou o terror dos "transportes" - famílias inteiras eram obrigadas a juntar seus pertences e partir para a estação, de onde eram levadas a locais desconhecidos.



O relato de Helga é inocente, ingênuo, sempre positivo. Sempre achavam que a guerra iria acabar na próxima semana, no próximo mês, jamais imaginavam o horror em que estavam afundando. Conforme o tempo passa, percebemos na narrativa o amadurecimento da garota e o aprofundamento de suas reflexões. Certas partes chegam a ser até engraçadas, tal é a forma irônica e sarcástica que ela encontrou para tentar viver o horror em que se encontrava. 

"Todos os pacientes foram transferidos, durante a noite, da escola junto à Bauhof, que até hoje servia como hospital; o prédio foi pintado e limpo, carteiras foram trazidas e, pela manhã, uma enorme placa brilhava à distância: Knaben und Madchenschule - "Escola de Meninos e Meninas". É realmente linda, como um colégio de verdade, porém faltam alunos ou professores. No entanto, esse inconveniente foi resolvido de maneira simples: um pequeno cartaz anunciando Ferien - "Férias".


Algumas partes do livro foram escritas após a guerra, conforme Helga se lembrava dos acontecimentos, mas não deixa de ser muito vívido. O livro é um relato emocionante, sincero e real. Indico esse livro incrível a todos. Me lembrou um pouco O Diário de Anne Frank, outro livro que indico a todos, por sinal. No final, também há uma entrevista com Helga, onde ela esclarece algo que sempre me deixou intrigada: o que aconteceu com os judeus após a guerra? Como retornaram às suas vidas? Se é que retornaram... E também muitas notas explicando melhor certas partes da história. O formato com as notas no final ficou muito bom, pois é comum o livro ficar cansativo e  lento quando as notas misturadas à história.

Achei muito bom! Nota: 4,5!

Rapidinhas (notas de 0 a 10):

  • Enredo: 10
  • Diagramação: 9,5
  • Capa: 9,5
  • Revisão: 9
  • Dificuldade: 5

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Amiga resenha maravilhosa o livro deve ser ótimo bom final de semana
    Blog: http://arrasandonobatomvermelho.blogspot.com.br
    Canal de youtube: http://www.youtube.com/NekitaReis

    ResponderExcluir