23 de nov de 2013

O que eu tenho feito...

Faz um tempo que eu não posto aqui o blog porque eu não tenho feito muita coisa postável... eu tenho feito pesquisas bem cultura inútil ultimamente, como quando peguei a mim mesma pesquisando no google "espécies de árvores comuns na Escandinávia" e coisas do tipo... É que, veja bem, eu sou bem fã de Tolkien e sua obra, e acabo pesquisando por essas coisas. Tá, não tem muito a ver. Estou pesquisando sobre literatura e cultura nórdica, lendas celtas, músicas celtas, músicas épicas, cachimbos e sua arte e fiquei bem interessada em comprar um Churchwarden como o dos hobbits, mas vai ser um dinheiro gasto em algo inútil pra mim, porque eu não tenho pretensão de começar a fumar cachimbo agora (quem sabe um dia...)... Tenho assistido filmes de O Senhor dos Anéis e O Hobbit meio seguidamente, ai faço joguinhos do tipo: estamos no ano em que será lançado O Senhor dos Anéis - O Retorno do Rei, Piratas do Caribe - No Fim do Mundo, Harry Potter e as Relíquias da Morte Parte 2, Titanic, Vingadores... num evento de apresentação dos filmes mais aguardados, o pessoal de cada um desses filmes pode passar uma cena, não muito longa, e eles passam e tal, e meio que escolhem qual deve ser mais massa, e essas coisas bem eu tenho treze anos - é o que eu tenho feito. É o tipo de coisa que você só faz quando está sozinho e em sua mente, porque mesmo sozinho você tem vergonha de falar. Eu descobri que as pessoas fazem essas coisas, mesmo as mais eruditas e intelectuais. Porque todo mundo defeca, peida e tudo mais. Acho que minha progressão não está boa. Dane-se, o blog é meu.
Coisas que descobri: Salgueiro não é uma espécie única de árvore, mas um conjunto de várias espécies que costumamos chamar de salgueiro. Os cachimbos de madeira Briar são muito bons, e o preço é normal. Eu engordei - mas isso eu já sabia. Meu chuveiro queimou. Oengus é o deus do amor e da juventude. A maioria dos blogs que eu sigo carecem de criatividade e identidade. O que é uma pena porque eu gosto de ler outros blogs. Meus olhos estão ardendo porque eu to com sono. Eu vou no Cirque du Soleil amanhã. 

13 de nov de 2013

Harry Potter não é real?

“Harry Potter isn’t real? Oh no! Wait, wait, what do you mean by real? Is this video blog real? Am I real if you can see me and hear me, but only through the internet? Are you real if I can read your comment but I don’t know who you are or what your name is or where you’re from or what you look like or how old you are? I know all of those things about Harry Potter. Maybe Harry Potter’s real and you’re not.”



― John Green

7 de nov de 2013

Fanfics

Ontem eu, olhando as páginas que eram marcadas como favoritas aqui no meu navegador, encontrei uma em especial, essa, que vocês devem conhecer. Nem sei como encontrei as fanfics na categoria Harry Potter, e cliquei na primeira que encontrei.

Fanfics até que são legais... Não conseguem de maneira alguma chegar aos pés da história original, mas é legal rever os personagens, ver outros desfechos... A fanfic que li primeiramente foi Inesperado, que no começo achei ruim, mas ao avançar na história comecei a gostar, e enfim, é legal. Mas gostei ainda mais dessa fanfic quando passei a ler outras, cada vez piores, e devo dizer que não consegui terminar de ler algumas, como A Lenda, que eu não recomendo que qualquer um leia. Ao contrário das outras fanfics que li, normalmente mal escritas, A Lenda é bem escrita, mantém o carácter dos personagens e seus sentimentos. Contudo, o que acontece com eles é BIZARRO. Não leia, se você gosta de Harry Potter, não leia. Para matar a curiosidade, vou resumir a bizarrice: Harry precisa engravidar, ele precisa gerar um filho, do corpo dele, com gestação e tudo mais, e o pai do filho precisa ser o Snape. E o ato acontece mesmo, aliás, foi ali que parei de ler, e é bem no comecinho, no capítulo sete, e pelo nome dos capítulos acontece mais vezes... também porque essa fanfic é bem longa, 231 mil e poucas palavras, daria um livro bem grosso... Se alguém ler até o final, me conte o que acontece porque eu até tenho um pouco de curiosidade, mas não consigo ler aquilo, não tenho coragem...
Falando da fanfic Inesperado, gostei porque mostra um final alternativo para o Snape, um final feliz. É uma mistura de Harry Potter com As Brumas de Avalon no enredo, e na escrita, possui toques de 50 Tons de Cinza rsrs Realmente, leia apenas quando maior de 18 anos, pois possui cenas bem calientes. Os personagens em sua maioria possuem o mesmo carácter do original, apenas o Dumbledore que é retratado como um velho caduco e avoado em todas as cenas que aparece, e bem, vocês sabem que Dumbledore realmente é um pouco assim em certos momentos, mas achei que houve um exagero não muito legal neste caso. Harry aparece pouco, e também é retratado um pouco diferente do que realmente é. Parece mais que é uma espécie de filho do Dumbledore, assumindo o mesmo aspecto avoado e caduco, estando tranquilo, numa boa quando o momento mostraria outra reação do real Harry Potter... Certas coisas que acontecem envolvendo Miverva, Dumbledore e Hagrid também não aconteceriam com os personagens reais: quando é que os três invadiriam o quarto de uma professora, escancarando a porta sem sequer bater, numa manhã quando a mesma ainda está na cama, apenas para pedir se ela conseguiu fazer algo que poderia esperar os segundos até que a mulher levantasse, colocasse uma roupa e abrisse a porta? Mas tudo bem, porque o momento foi engraçado e gerou muitas emoções. Mas estes são apenas personagens secundários, o principal é Snape e consigo realmente imaginá-lo naquelas situações da forma como a autora o retratou. No geral, é legal que coisas que li no comecinho façam sentido no final, vocês sabem, ligar os pontos e tudo mais, acontece muito no HP original. Por isso, é bem construída, e o final é bem legal com um toque daqueles romances maaais românticos, chega a ser até meio Crepúsculo... Ah, quase esqueço de comentar que, apenas nas cenas de sexo, eu acho que os personagens deixam de ser eles mesmos. Tá, sim rsrs mas não nesse sentido... O Snape fala coisas que eu não acho que o real Snape falaria durante essas cenas e tal, é aí que ele se torna meio Christian Grey rsrsrs Mas ok, é só uma fanfic.
As outras fanfics, no geral eu não gostei. Tem muuuita coisa Draco e Hermione, o que até poderia ser legal se as histórias fossem bem escritas, mas a maioria só vai jogando diálogos muitas vezes sem sentido. Tem uma em especial, que não me lembro o nome agora onde Draco não para de beijar Hermione, só que ele não gosta dela ainda e ela não gosta dele; cada vez que ele quer que ela fique quieta, ele a beija; ele passa por ela, ele a beija; e ainda sai pensando "que merda que tive que beijar aquela sangue ruim" - NONSENSE, e Hermione não faz nada, odeia aquilo e odeia o Draco, mesmo assim decide ajudá-lo a livrá-lo de uma maldição que não faz também qualquer sentido, enfim, a história é escrota e a escrita ainda pior. 
Atualização: eu continuei lendo A Lenda, fiquei curiosa rsrs e não é tão ruim assim. É horrível imaginar o Harry naquela situação, mas me desliguei do Harry original e deixei a história andar com esse novo Harry que começar a se apaixonar pelo Snape, e no fim acaba sendo uma história muito bonita de um casal gay, cheio de desejos e sentimentos.
Eu gosto de fanfics, mas precisam ser bem escritas. Não estou falando em não conter erros de português (porque são inevitáveis, encontrei erros em todas), mas no sentido de explicar as coisas de forma legal, e também que façam sentido, que não fujam muito do carácter original dos personagens e que se aprofundem relatando seus sentimentos e pensamentos também, não apenas diálogos.
E vocês, o que acham de fanfics? Já leram alguma dessas que citei? Se conhecem fanfics legais, me mandem, eu vou adorar ler!
Beijos!

5 de nov de 2013

Um olhar em Hitler - Ian Kershaw

Olá pessoal, tudo bem?
Essa semana realizei um desejo que olha, já fazia tempo que eu tinha... Comprei a biografia do Hitler, do Ian Kershaw, essa que vocês podem ver abaixo:
Eu não lembro como ou porquê surgiu esse desejo meu de possuir essa biografia, só sei que toda vez que eu ia na livraria cultura ou na livraria da vila eu ficava namorando essa edição, mas não comprava porque custa R$ 68,00 ou R$ 78,00, ou seja: é caro né...
Mas decidi comprar. Gastei esse dinheiro e aqui esta a biografiia! Não me arrependo.
O que eu sei dessa biografia? Parece que é uma das melhores, senão a melhor que temos atualmente. Ela tinha sido publicada anteriormente em duas partes e agora o autor fez uma reedição, atualizou e juntou tudo num só volume. É essencial para entendermos por completo o Terceiro Reich, segundo o The Sunday Telegraph, e a guerra como um todo. 
Não posso falar muito porque não li ainda, mas se você tem interesse na segunda guerra mundial como um todo, acho que irá gostar muito. 
É bem editado, como vocês podem ver, capa dura e tudo mais... Possui muitas imagens, enfim, é um livro bem bonito...
Bem, é isso, assim que eu terminar de ler (vai demorar um pouco) eu falo sobre essa biografia aqui no blog!
Beijos pessoal, e até mais!

4 de nov de 2013

Escuta essa música

Essa música do Nick Cave é aquela música que embala meus momentos de querer escrever, quando não penso na letra, quero apenas um ritmo, um barulho no plano de fundo de meus pensamentos, minhas ideias... Eu nem gostava tanto dela assim quando a ouvi pela primeira vez no filme de HP, na verdade achei ela tão down..., e não é por causa do filme que passei a escutá-la também. Na verdade foi uma amiga minha que me indicou esse ano mesmo, e ai que prestei atenção nela e acabei gostando. É bom escutar quando estamos sozinhos, e é bom termos esses momentos sozinhos, quando podemos pensar no que realmente estamos fazendo com nossas vidas. 
As vezes a gente nem percebe que rumo estamos tomando, seja num texto reflexivo, seja no nosso futuro... Nossos amigos vão fazendo coisas e mais coisas, e acabamos tomando o mesmo rumo. Mais tarde percebemos que não era bem isso o que teríamos feito se tivéssemos pensado melhor. Pensar... "Tenho pensamentos que, se pudesse revelá-los e fazê-los viver, acrescentariam nova luminosidade às estrelas, nova beleza ao mundo e maior amor ao coração dos homens." Disse Fernando Pessoa. Como é maravilhoso o "pensar", não? Acho incrível a quantia de pessoas que não fazem uso dessa que é a coisa mais espetacular em nossas vidas. 
Não estou falando de pessoas que literalmente não pensam, e sim daquelas que pensam bem. E encontro pessoas assim o tempo todo, em todos os lugares, mas é incrível a quantia delas que encontro no facebook. Aqueles dias, quando entrei na rede pra conversar com uma amiga minha, acabei passando os olhos por uma publicação que uma antiga professora minha de etiqueta curtiu. Era mais ou menos assim: "quero que coloquem um militar no poder pra tirar dar um jeito nesse país". Fiquei chocada. Um professor meu havia dado uma aula não muito tempo antes sobre a ditadura no Brasil, e ele explicou algo curioso. Um certo ciclo que vai se repetindo que é tipo assim: Democracia > Ladroagem > Povo Revoltado > Militar no Poder > Ditadura > Povo com Medo > Povo Revoltado > Democracia > Ladroagem > Povo Revoltado > Militar no Poder... e por aí vai. Todos na sala ficaram meio "assim" com o ciclo, custando a acreditar que o povo seria burro o bastante para deixar uma ditadura se instaurar aqui novamente, e ai encontro aquela publicação no facebook.
E depois, vi toda aquela zona que os criminosos fizeram para tirar os beagles do laboratório. Não que eu seja a favor de testes em animais, pelo contrário. O que me deixou revoltada foi o que o pessoal fez com o laboratório. Quebraram tudo, deixaram ampolas de amostras que poderiam ter algum agente patológico perigoso abertas, em contato com o ar. Deixaram abertas as portas de geladeiras que continham amostras de pesquisas que precisavam ficar refrigeradas, e acabaram estragando. Anos de pesquisa foram por água abaixo com esse vandalismo... Sabe, o laboratório estava dentro da lei. Não é com o laboratório que você precisa brigar, é com a lei. 
E agora, esse pessoal a favor da proibição de biografias não autorizadas... É a ditadura chegando, só pode, pois a censura vem aí. Novamente, o problema não é com as biografias em si. O problema é o que vem depois se esse negócio for aprovado. As coisas são como uma reação em cadeia,  vocês viram o exemplo com as manifestações de junho/julho. Começou pelo aumento da passagem, e olha onde chegou. Temo todas as propostas de censuras que aparecerão, e os que não pensam bem são bem capazes de aprovar... Oh God. Crescer, tomar conhecimentos de causas, pensar... É difícil né.
Era tão melhor quando eu era criança... achava que o mundo era perfeito. Que todos eram sensatos, que sabiam o que era melhor para si mesmos. Mas estava enganada. Talvez as pessoas pensassem melhor se fossem instruídas melhor quando crianças. Gostaria que aulas de filosofia e sociologia fossem obrigatórias desde cedo. Eu gostaria de ter tido aulas de filosofia e sociologia desde cedo. 
Não aquela filosofia que aprendemos para vestibulares: decorar nomes de filósofos e os lados que tomavam, quando viveram e blá blá blá. Aquela filosofia que é a filosofia em si: filosofar. Pensar. Gostaria de ter tido um professor como Sócrates, que questionasse minhas ideias e opiniões e me fizesse refletir sobre elas. Gostaria que todos tivessem tido um professor como Sócrates, do tipo que pergunta: Por que você acha isso? E se isso acontecer? Talvez nada que eu tenha escrito até agora seja realmente sensato, mas pensei sobre elas, bem? Sim, acho... mas será? Sócrates questionava as pessoas, e a cada resposta, fazia novas perguntas, levando-as a refletir sobre aquilo que afirmavam, ensinando-as a pensar. É dele que parafraseio "Só sei que nada sei".
Realmente, eu nada sei. Quanto mais aprendo, mas percebo o quanto há para aprender, e o quanto pouco eu realmente sei. Quando isso penso, naquele intuito primitivo de me auto preservar, fujo deste pensamento e coloco uma música. Música deixa tudo melhor...